150 Anos da Tabela Periódica

20 maio

A Tabela Periódica está nas paredes de quase todos os laboratórios de química. O crédito para a sua criação geralmente vai para Dimitri Mendeleev, um químico russo que, em 1869, escreveu os elementos conhecidos ( dos quais havia 63 na época) em cartões e os organizou em colunas e linhas de acordo com suas propriedades químicas e físicas. Para celebrar o 150º aniversário deste momento crucial na ciência, a ONU proclamou 2019 como o Ano Internacional da Tabela Periódica (IYPT).

Podemos comparar a Tabela Periódica como um alfabeto, o alfabeto da vida!

É importante destacar que a enorme variedade de substâncias que encontramos todos os dias são formadas por um número pequeno de elementos. Todos os objetos, os alimentos, remédios, produtos, tudo é constituído por cerca de 90 elementos naturais. É isto que a Tabela Periódica nos mostra. Uma pequena tabela que contém todos os elementos que compõe tudo o que existe no universo.

Mas a tabela periódica não começou com Mendeleev. Muitos tinham trabalhado na organização dos elementos. Décadas antes, o químico John Dalton tentou criar uma tabela, bem como alguns símbolos bastante interessantes para os elementos. John Newlands também criou uma tabela classificando os elementos por suas propriedades.

Há quem diga que Mendeleev gostava muito de jogar paciência. Um dia, teria pegado seu baralho e escrito nas cartas o nome de cada elemento, sua massa atômica e suas propriedades físicas e químicas. Inspirado pelo jogo, distribuiu as cartas na mesa e as dispôs colocando na mesma coluna elementos de propriedades parecidas (como ficam as cartas de mesmo naipe no jogo) e em ordem crescente conforme o valor das massas. Nascia, assim, há 150 anos, o alfabeto da química e, por sua vez, da vida.

A genialidade de Mendeleev estava no que ele deixou de fora de sua tabela. Ele reconheceu que certos elementos estavam faltando, ainda a serem descobertos. Então, onde Dalton, Newlands e outros publicaram o que era conhecido, Mendeleev deixou espaço para o desconhecido. Ainda mais surpreendente, ele previu com precisão as propriedades dos elementos que faltavam.

Fotografia: University of St Andrews/PA

Primeiros dias: possivelmente a cópia mais antiga do mundo da tabela periódica de Mendeleiev, encontrada durante uma limpeza na Universidade de St Andrews em 2014.

Últimas notícias

ANUIDADES!